Buscar
  • Carol Dariva

Relações tóxicas, da " vida real" para a web

Uma relação tóxica contamina sua autoestima, sua felicidade e tudo a sua volta. Algumas são fáceis de identificar e, se você reconhece os sinais logo no início, tem a opção de não levar adiante. Porém, em algumas ocasiões, que podem incluir carência, baixa autoestima, depressão e vários outros motivos, você pode se ver em um relacionamento em que reinam a autosabotagem e a manipulação. Você se sabota quando pensa que pode mudar o outro, quando inventa desculpas pra si mesmo quando o outro é frio, grosseiro ou distante com você , quando cede o tempo todo, quando vê suas necessidades dentro do relacionamento nunca serem atendidas e mesmo assim insiste, você se sabota quando se contenta com as migalhas que a outra pessoa lhe oferece. Já a manipulação acontece quando uma das partes não está, de fato, a fim de você, mas deseja te manter por perto pelos mais variados motivos: ego, apego, controle, insegurança ou a simples necessidade de ter alguém "sempre ao seu dispor". Esse tipo de relação pode ser mais difícil de ser reconhecida; os verdadeiros Mestres e Mestras na arte da manipulação, ao menor sinal de que você possa estar percebendo ou incomodado com algo, tratam logo usar todos os tipos de argumentos, que vão da sedução pura e simples à " Drama Queen (King)" para te manter sob controle, sem que você ao menos perceba. E NA INTERNET, COMO ISSO FUNCIONA? Por conta do avanço da Internet e do crescente número de redes sociais e apps de relacionamentos, alguns tipos de comportamento já foram identificados por psicólogos e psicoterapeutas e vem sendo observados. Basicamente, são atitudes que as pessoas já tem ou que gostariam de ter na "vida real" e, que no ambiente da web, conseguem expressar mais livremente, ou com menos culpa. Dois tipos (já considerados clássicos) de relacionamentos tóxicos identificados: 🌑 Mooning ( moon, lua em inglês) indica o comportamento de simplesmente ignorar o outro, silenciando chamadas ou bloqueando ligações e mensagens, sem que a pessoa saiba que isto está acontecendo, fazendo com que ela fique insegura, desestabilizada e, ao mesmo tempo, sob controle.

⚠️ Claro que aqui não se refere ao período em que a pessoa está no trabalho ou, por qualquer outro motivo, não possa atender, é preciso bom senso ao avaliar para não criar uma fantasia que de fato não existe e transformar-se em uma pessoa inconveniente. 🤫Stashing (do inglês stash, esconder), a palavra é usada quando uma pessoa evita ao máximo expor o parceiro publicamente, o escondendo de amigos, familiares, colegas de trabalho e do ambiente da web em geral. Alguns exemplos são bem comuns e até fáceis de serem identificados ( infelizmente não muito claros para a pessoa envolvida), pois a sensação que "dá" para quem está de fora é que só um dos parceiros está se relacionando com o outro. Nesse caso, a balança sempre pende mais para um dos lados, na maior parte das vezes só um dos parceiros liga, manda mensagem, "marca" o outro em posts e fotos e distribui "likes" sem parar nas redes sociais, numa tentativa quase desesperada de ser visto ou reconhecido pelo outro como o seu par, enquanto o comportamento do outro parece ser de distribuir atenção a todos, menos ao parceiro, colecionando posts de eventos, amigos e sim, até de relacionamentos anteriores (que, não necessariamente, foram de muita importância). Ao seu par de fato, limita -se às respostas frias e evasivas, falta de atenção e compromisso e aquele "like" dado para marcar território, quase que por obrigação. Envolver-se em uma relação caracterizada pelo “stashing” pode ser extremamente nocivo, pois a pessoa que permanece na sombra, pode ter sua autoestima muito abalada. Gostaria apenas de pontuar duas coisas: 1) Alguns casais, em comum acordo, decidem manter a relação longe das redes sociais. Se esse acordo foi feito, é injusto, desnecessário e nada saudável para a relação que uma das partes descumpra com o combinado sem que haja uma nova conversa sobre o assunto. 2) Nos relacionamentos, na vida real ou na Web, não existem vítimas. O que existe são indivíduos que, por conta de suas questões pessoais não trabalhadas, podem acabar se envolvendo em relações tóxicas ou superficiais, ou seja, elas PODEM ESTAR mas NÃO SÃO vítimas. No momento em que se tem a consciência de que algo está errado, de que a relação traz mais tristeza do que paz e alegria, permanecer nessa autosabotagem ou se deixar manipular é SOMENTE uma questão de ESCOLHA. LEMBRE-SE: ANTES DE AMAR O OUTRO, AME E RESPEITE A SI MESMO.

Entre em contato pelo site ou através do Link

https://linktr.ee/holisttica e agende a sua consulta presencial ou online.

0 visualização

Holísttica